segunda-feira, dezembro 15, 2008

Cocktail de Natal da empresa...


Já sabemos que estamos em época de vacas magras, e por isso este ano não há cá jantares de Natal para ninguém, a crise toca a todos, há que apertar o cinto e apostar no belo do croquete e no suminho de laranja de pacote para celebrar a quadra natalícia.
Mesmo assim o povão não perdoa, e por isso por esta altura muitos deles estão de barriga encostada às mesas do refeitório a enfardar croquetes e à espera do animado discurso de Natal, o da praxe...
Este ano não me apeteceu ir, mas se fôr como o Cocktail do ano passado, tenho pena dos senhores do catering... vão ter de ter muito profissionalismo e ao mesmo tempo muita habilidade para passarem por entre a multidão esfomeada, sofrendo pelo meio muitas placagens, assaltos às bandejas e encontrões propositados.
Entre a porta da cozinha e o final da sala têm de atravessar alguns metros por entre a multidão, com um único objectivo, o de conseguirem chegar ao fim do refeitório ainda com meia-dúzia de croquetes na bandeja.
É no topo da sala que se concentram os directores e por consequência o grupo dos “lambe-botas”, é por isso um desafio para os senhores do catering estes Cocktails de Natal, qual jogo sem fronteiras qual quê, isto sim é Portugal no seu melhor.
As adversidades são mais que muitas, e só os fortes sobrevivem. Os fracos são engolidos pela multidão e esquecidos..
A cena é tão caricata que parece que regressámos ao liceu, e ao invés de estarmos ali com pessoas de 30 e tal anos, parece que somos teletransportados ao passado e estamos perante putos de 15 anos na cantina da escola ...
A culpa... não é do croquete nem do rissol... é da crise... ai ai a crise...

Um comentário:

Marko Rebelo disse...

obrigado pelo teu coment pink!
ainda bem q gostaste espero que te tenhas rido :)